terça-feira, 31 de maio de 2011

Pouso Alegre é 12ª no ranking de geração de empregos em Minas


Cidade gerou 3,2 mil novos postos de trabalho, fazendo o emprego formal evoluir 9,54% no período. Tendência é que o mercado de trabalho fique ainda mais aquecido com investimentos milionários no setor produtivo

Depois de virar destaque na mídia nacional pela atração da gigante chinesa de máquinas pesadas, a XCMG, Pouso Alegre volta a estar em evidência em função de seu forte desenvolvimento econômico.

Esta semana, o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), órgão ligado ao Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), colocou o município entre as cidades que mais geram empregos no Estado. No acumulado dos últimos 12 meses até abril, Pouso Alegre somou um saldo positivo de 3.243 admissões. Registrando um aumento de 9,54% nas contratações com relação ao mesmo período do ano passado.

No mês de abril deste ano, a cidade figurou entre as 12 do Estado que mais geraram empregos, com um saldo positivo de 456 novos postos de trabalho.

O aquecimento da economia de Pouso Alegre pode ser sentido em todos os setores da economia, mas alguns deles vêm se destacando há algum tempo como molas propulsoras do desenvolvimento na cidade. Para o secretário de Desenvolvimento Econômico Renato Torres, o atual dinamismo local é resultado da intensa atividade de três setores, comércio, serviços e indústria.

O secretário ainda lembra que a cidade transformou-se em um canteiro de obras, devido à ação do governo, o que também reflete na geração de empregos, que, por sua vez, ajuda a movimentar a economia. “A tendência é que a geração de empregos continue crescendo nos próximos anos”, avalia o secretário.

O secretário conta que esta tendência de crescimento na taxa de geração de empregos é sentida especialmente na movimentação das principais empresas instaladas no município. Usiminas, Yoki, Tigre e Unilever, entre outras, todas estão em franco processo de contratação.

A ampliação do corpo de trabalho da indústria pousoalegrense é consequência da expansão física do setor, que vem ocorrendo desde o segundo semestre de 2010, pouco depois da economia brasileira ter superado de vez a crise financeira global originada no final de 2008.

Pouco antes de embarcar para Brasília, nesta quarta-feira (25), onde assina a liberação para serem construídas novas creches na cidade, o prefeito Agnaldo Perugini avaliou que o bom momento econômico da cidade traz consigo novos desafios. “Precisamos agora investir em mão de obra qualificada, investir na educação”, projetou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário